"A cerimónia que nos traz aqui tem de facto um simbolismo especial. Trata-se do concretizar de um sonho que irá permitir responder com dignidade e qualidade a uma necessidade que sentíamos há muito. Dizia  Sebastião da Gama que pelo sonho é que vamos. E é verdade. O sonho é um motor de alentos, é um combustível para a persistência e para a resistência."

 

"Como os que mais de perto me conhecem sabem, sou um tanto avesso a discursos formais, daqueles que têm mais palavras que significados, mais gramática que sentimento. Por isso, permita-me senhor Ministro que, embora atropelando, espero que sem gravidade, as regras discursivas protocolares, me socorra de frases conhecidas de alguns poetas e escritores, para transmitir a todos vós o que nos vai na alma, a todos os nós que fazemos parte desta grande família que é a Cercipeniche.
Dizia o Padre António Vieira que a melhor forma de pedir é agradecer. E eu quero começar por agradecer a presença de V. Exa. nesta cerimónia, que muito nos honra, e manifestar-lhe a nossa gratidão pela atenção, empenho e, eu diria até, carinho, que lhe têm merecido as questões e decisões que têm a ver com as políticas para a promoção da dignidade e direitos da pessoa com deficiência. E de imediato vem o pedido que refere o pregador: contamos com V. Exa. para continuarmos a construir oportunidades de igualdade, sabendo como sabemos que, embora tenham já sido dados passos muito significativos, a tal sociedade promotora da igualdade de oportunidades que almejamos ainda está por cumprir.
A cerimónia que nos traz aqui tem de facto um simbolismo especial. Trata-se do concretizar de um sonho que irá permitir responder com dignidade e qualidade a uma necessidade que sentíamos há muito. Dizia Sebastião da Gama que pelo sonho é que vamos. E é verdade. O sonho é um motor de alentos, é um combustível para a persistência e para a resistência. Aqueles que não sabem ou não querem sonhar, estão condenados a existir. E mesmo que tenham todos os prazeres da vida à disposição, serão sempre pessoas cinzentas e pardas, porque só o sonho pode dar cor à existência. O nosso Lar Porto de Abrigo é um desses sonhos que, há uma dúzia de anos, parecia muito distante. Mas as vontades foram muito superiores às dificuldades e aquela distância que parecia imensa demais para o nosso querer, foi-se encurtando até ficar ao alcance da nossa mão.
Diz o grande poeta Fernando pessoa que Deus quer, o Homem sonha, a obra nasce. Mas todos sabemos que, pese embora a verdade contida no poema, as coisas não são bem assim. Quando se quer passar do sonho à realidade, são milhentos os obstáculos que é preciso ultrapassar. E não fora um somatório de solidariedades e boas vontades e dificilmente teríamos o prazer de estar hoje e aqui com V. Exa. a celebrar este dia de festa para a Cercipeniche, mas também para todas as pessoas do nosso concelho. E cabem por isso aqui públicas palavras de gratidão.
Desde logo à Câmara Municipal de Peniche, sem o apoio da qual o Porto de Abrigo continuaria a ser uma miragem. A nossa autarquia foi um claro exemplo de como o poder autárquico pode ser uma ferramenta ao serviço da democracia e da solidariedade. E a nossa Câmara esteve connosco desde a primeira hora, desde logo com a cedência do terreno com esta magnífica locação na Praia da Consolação, passando pela fiscalização e controle de segurança da obra e, mais recentemente, incluindo a Cercipeniche num pacote de apoio financeiro plurianual que disponibilizou para um conjunto de organizações locais com obras sociais em curso. Queira senhor na sua pessoa, congregar a nossa sincera e profunda gratidão, que gostaríamos que transmitisse a todos os técnicos que puseram o melhor da sua competência e generosidade ao serviço desta obra.
Também não poderia deixar de registar todos os que contribuíram para esta obra, participando nas múltiplas iniciativas de angariação de fundos que promovemos, das quais destaco, por razões óbvias, o Muro da Solidariedade. Esta iniciativa mobilizou dezenas de empresários e simples munícipes que, sem qualquer contrapartida que não fosse o cumprimento do dever de solidariedade, ajudaram de forma muito significativa a chegarmos até aqui. E é esse reconhecimento que não quisemos deixar de gravar nas paredes desta casa, porque entendemos que a solidariedade não é, não tem que ser pelo menos uma coisa efémera. Deixa marcas e é bom que a memória as mantenha bem vivas. Bem hajam pelo vosso apoio.
Uma palavra também para o Centro Distrital de Segurança Social também ele um parceiro importante nesta obra, quer ajudando-nos a desbloquear os milhentos problemas com que nos vamos deparando, quer alimentando o nosso entusiasmo e esperança.
Por fim, mas não menos importante, o contributo dos colaboradores e colaboradoras da Cercipeniche. Foram muitas as horas que dedicaram a esta causa, com um entusiasmo e entrega que não podem deixar de ser destacados. Os colaboradores fizeram parte do tal sonho que, como cantava Gedeão, comanda a vida. E durante os últimos anos, este projeto foi uma parte importante da vida dos colaboradores da Cercipeniche.
Hoje inauguramos o espaço que construímos com todo o carinho, a pensar na dignidade e conforto dos que irão fazer desta a sua casa. Não foi por acaso que escolhemos o nome: porto de abrigo. Como escrevemos no preâmbulo do projeto que lançou esta ideia, no já longínquo ano de 2002, o Porto de Abrigo é o local onde os pescadores refugiam as embarcações das intempéries à espera que o mar acalme e lhes dê oportunidade de dele voltar a tirar o seu ganha pão. E porque “ navegar é preciso”, com o presente projecto pretendemos que um grupo de pessoas com deficiência possa contar também com o seu porto de abrigo, onde haja segurança para esperar a maré da igualdade de oportunidades e da salvaguarda dos direitos de cidadania.
Hoje inauguramos um espaço que espera encher-se de vida nos próximos dias. Fico a contar que nos visite quando por estes corredores se ouvirem as vozes de pessoas felizes por terem um porto de abrigo como casa sua, talvez em cumprimento de um convite desafio que em tempos fiz a V. Exa. de fazermos um raid de kayak pela costa da nossa cidade.
Temos consciência que este é apenas um primeiro passo, embora gigantesco, dos muitos que temos ainda que dar. Quando chegaram aqui receberam uma lembrança muito particular: um tubo de ensaio com alecrim que cultivamos e secamos na Cercipeniche. O tubo de ensaio significa que vamos continuar a ensaiar, isto é, a procurar novas soluções que nos tragam o odor agradável da qualidade e sustentabilidade. Sabemos das dificuldades e desafios que nos esperam. Mas também acreditamos que com o apoio e solidariedade das entidades e das pessoas do nosso território, diremos com Ary dos Santos: isto vai meus amigos, isto vai."

Discurso Presidente da Direção CERCIPENICHE

Rogério Cação

 

 

Entidades Financiadoras

Governo de portugalGoverno de Portugal Ministério da Educação e CiênciaUnião Europeia Fundo Social EuropeuPrograma Operacional Inclusão Social e EmpregoPortugal 2020Instituto do emprego e Formação profissional IPSegurança SocialPrograma Operacional Regional do Centro

Parceiros

Município de PenicheFenacerciEscola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar de PenicheADEPE - Associação de Desenvolvimento de PenicheAcompanha - Cooperativa de Solidariedade Social

Reconhecimentos e Acreditações

DGERT - Certificação de Entidades FormadorasMembro Honorário da Ordem de Mérito de Instrução PúblicaUm globo inclinado, com uma grelha sobreposta. Na sua superfície está recortado um buraco de fechadura Campanha Eficiência Energética no Facebook

Sunday the 19th. Todos os direitos reservados.